quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

REGANHO DE PESO? MANTENHA A CALMA E SE FAÇA 5 PERGUNTAS!

REGANHO DE PESO? MANTENHA A CALMA E SE FAÇA 5 PERGUNTAS!

236Como você se sente naquele momento em que percebe que reganhou peso? Frustração? Ansiedade?

Quando Jill Temkin, colaboradora do site ObesityHelp e psicóloga com mais de 30 anos de experiência, se viu nesta situação, sentiu um misto de raiva e embaraço.

“Aonde eu estava enquanto isso acontecia?”, pensou. No entanto, a pergunta mais importante que ela se fez foi: “O que estive fazendo de diferente que pode ter me levado ao reganho?”

Enquanto a primeira pergunta leva o paciente a tomar atitudes que podem afastá-lo ainda mais de seu objetivo, a segunda permite ações positivas para evitar que o reganho continue.

O primeiro passo é saber que o reganho de peso é normal e não há motivos para entrar em pânico. Portanto, saber lidar com os sentimentos negativos que surgem nesta situação é um fator chave para reverter este quadro.

Jill resolveu então seguir a orientação que ela mesma passa a seus pacientes que apresentam reganho de peso: se fazer cinco perguntas que podem ajudar a desmistificar o que está levando o paciente a aumentar seu peso.

1) O que você está fazendo de diferente no trabalho ou em casa que podem estar contribuindo para o reganho de peso?
2) Seu acesso à comida mudou de alguma forma recentemente? Seus hábitos de compras de alimentos ou o tamanho das porções mudaram recentemente?
3) Você faz outras coisas enquanto come? O quanto você está consciente do que e quanto você come enquanto se alimenta?
4) Você criou hábitos de para se cuidar que lhe trazem prazer e ajudam perder de peso? Se sim, a frequência destes hábitos mudou? Se não, o que você acha que poderia ser prazeroso e ainda apoiá-lo a tomar conta melhor de você mesmo?
5) Quais são as três ações que você poderia tomar nesta semana para mudar sua situação de reganho e peso para perda de peso?

O objetivo destas perguntas é ajudar o paciente a identificar escolhas e ações que podem ser tomadas imediatamente para que o paciente volte a perder peso.

As respostas devem ser sinceras, realistas, praticáveis e terem prazo para serem executadas – quanto mais realistas, maiores as chances de serem executadas.

Jill notou o aumento de peso em uma em que época estava viajando bastante e consumindo muitos capuccinos. Esta mudança de rotina levou ao reganho. Sua atitude foi procurar alternativas com menos calorias, afinal a psicóloga adora esta bebida e simplesmente para de consumí-la seria um convite a auto sabotagem.

Na avaliação da psicóloga, as 5 questões deram um bom resultado porque ela se deu o espaço para, sem julgamentos, olhar no “espelho” de forma sincera. “Só assim poderemos ver o quadro todo, com suas rugas e imperfeições, para pensar no que fazer a partir dali”, afirma Jill.


Crédito da foto: Colin Kinner (cc)

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial